segunda-feira, 30 de abril de 2012

PENSAMENTO EDUCACIONAL DE PLATÃO E ARISTÓTELES E A INFLUÊNCIA DOS FILÓSOFOS NA EDUCAÇÃO ATUAL.

Olá pessoal! O vídeo a seguir mostra um pouco da visão de Platão em relação a educação, que é muito diferente da educação atual. Vejam:

video
Por trás do trabalho de cada professor, em qualquer sala de aula do mundo, estão séculos de reflexões sobre o ofício de educar. Mesmo os profissionais de ensino que não conhecem a obra de Aristóteles (384-322 a.C.), Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) ou Émile Durkheim (1858-1917) trabalham sob a influência desses pensadores, na forma como suas idéias foram incorporadas à prática pedagógica, à organização do sistema escolar, ao conteúdo dos livros didáticos e ao currículo docente.
Antes mesmo de existirem escolas, a educação já era assunto de pensadores. Um dos primeiros foi o grego Sócrates (469-399 a.C.), para quem os jovens deveriam ser ensinados a conhecer o mundo e a si mesmos. Para seu discípulo Platão (427-347 a.C.), o conhecimento só poderia ser alcançado num plano ideal e nem todos estariam preparados para esse esforço. Aristóteles, discípulo de Platão, inverteu as prioridades e defendeu o estudo das coisas reais como um meio de adquirir sabedoria e virtude. O sistema de ensino que ele preconizou era acessível a um número maior de pessoas.   
A proposta educacional e politica de Platão não é absurda. Aliás, ele apresenta de forma muito evidente que há uma estreita e necessária relação entre Política, Conhecimento e Educação. Quando sugere o sentido da Educação como Paidéia (Educação Integral, sedimentada no Bem, no Justo e no Belo, ele dá um caráter muito parecido com o que entendemos por educação hoje.  
Não são apenas informações ou dados, os conteúdos propostos no senso platônico de Educação são pressupostos para a formação daquele cidadão que vai dar sentido e garantia para a cidade. Nela, a justiça deve ser o princípio fundante. Embora legitimando a escravidão e algumas injustiças de seu tempo, como a desvalorização das mulheres, dos escravos e das crianças, Platão aponta uma perspectiva que ainda alimenta a mística da educação como promoção e qualificação do ser. Ou seja,l  uma coletividade justa e voltada para o bem nasce de um processo em que os indivíduos são educados para a construção da justiça, embora ela nem sempre seja fácil de ser conceituada, fundamentada ou mesmo justificada pela argumentação. 

Laio Vinicius Santana Guimarães

3 comentários:

  1. E verdade Laio muitos educadores não conhecem a linha de pensamento que sua escola trabalha.A minha escola diz que segue linha de Piaget e a sua que linha segue.você conhece a linha que sua escola onde você trabalha. Gostei muito desse conceito que você diz:Mesmo os profissionais de ensino que não conhecem a obra de Aristóteles (384-322 a.C.), Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) ou Émile Durkheim (1858-1917) trabalham sob a influência desses pensadores, na forma como suas idéias foram incorporadas à prática pedagógica, à organização do sistema escolar, ao conteúdo dos livros didáticos e ao currículo docente. Sueni.,

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da sua colocação a respeito do filósofo Platão,pois ele trata a educação como um dos principais meios de se obter uma republica ideal,que através dela pode-se fornar cidadãos honestos e comprometidos com a política da polis grega. Para ele, o principal objetivo da educação é praticar o bem, sendo que este intimamente ligado à sabedoria, ou seja, a busca da verdade.

    Rosangela Silva Souza

    ResponderExcluir
  3. Com certeza meu amigo Laio, a educação foi e sempre será a chave, paa um mundo mais responsável, exigindo e cobrando seus direitos, por mais banal que seja a forma de como se está educando, ela busca formar e molhorar a vida de cada um que até ali chega.tODOS OS FILÓSOFOS mencionados acima tiveram essa preocupação, com a forma de educação a ser cobrada nos seus meios escolares, Mas como diz Platão que só através da educação pode-se formar cidadãos honestos e comprometidos com uma política do bem.

    ResponderExcluir